terça-feira, 22 de julho de 2014

PANACEIA (1)

E a versão com o próprio Caetano?


PANACEIA

Ouvir "Mãe", de Caetano Veloso, na voz de Gal Costa, cura todos os males. Os meus, pelo menos.


TRE APREENDE MATERIAL IRREGULAR DOS MAIA E DOS PICCIANI

Do portal do TRE (aqui):

22/07/2014 - 16:41

Fiscalização apreende material irregular de Cesar Maia e Rodrigo Maia

A fiscalização do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro apreendeu num galpão em Ramos, na Zona Norte, milhares de placas e panfletos irregulares do candidato ao senado Cesar Maia (DEM), do filho Rodrigo Maia (DEM), candidato a deputado federal, e dos irmãos e candidatos Leonardo Picciani (PMDB), a deputado federal, e Rafael Picciani (PMDB), a deputado estadual. Parte do material de campanha não tinha informações obrigatórias, como CNPJ da gráfica e tiragem. A propaganda de Rodrigo Maia, em dobradinha com outros políticos, exibia dados falsos sobre a tiragem, indicando possível maquiagem de despesas de campanha e de tributos. O Ministério Público decidirá as providências nas áreas eleitoral e fiscal.

A tiragem informada no material de campanha de Rodrigo Maia com Haroldo Borges (DEM) era de 10 mil panfletos, mas foram apreendidos 20 mil. A produção de 30 mil santinhos dele com Carlos Bessa (DEM) foi informada como despesa com um lote de 10 mil. O flagrante ocorreu numa inspeção de rotina, quando os fiscais orientavam duas pessoas com dificuldade para colocar placa de César Maia num terreno particular, e notaram então a falta do CNPJ e da tiragem no material produzido na gráfica Stampa. A juíza da fiscalização eleitoral, Daniela Barbosa Assumpção de Souza, determinou um mandado de busca e apreensão no local.

ENQUANTO ISSO, NO PALÁCIO DA JUSTIÇA (?)...

Do Blog "Na Curva do rio", de Suzy Monteiro (aqui):

TJ suspende decisão que obrigava prefeitura abrir “caixa preta” dos terceirizados e nomeados

A desembargadora Maria Regina Nova, do Tribunal de Justiça, derrubou a decisão da 2ª Vara Cível da Comarca de Campos, que obrigava a Prefeitura a prestar os esclarecimentos sobre terceirizados, nomeados e contratados. A informação é do advogado Cléber Tinoco, postada em rede social.
A desembargadora atendeu pedido da Prefeitura de Campos, que impetrou Agravo de Instrumento junto ao TJ, querendo efeito suspensivo na decisão de primeira instância.
Assim, no momento, a prefeitura está desobrigada a prestar as informações, mas cabe recursos de ambas as partes. E o mérito (a ação em si) ainda será apreciado.
O pedido de informações sobre terceirizados, nomeados e cargos de confiança foi formulado pelo vereador Rafael Diniz, representado por Cléber Tinoco. A decisão de ir à Justiça em busca dos dados ocorreu pelo fato de ele ter pedidos de informação negados pela Câmara e pela Prefeitura.
Em 20 de junho, ele ingressou com ação na Justiça e o pedido foi deferido seis dias depois pela 2ª Vara Cível, que obrigou o município a prestar os esclarecimentos devidos.  
“A relatora do recurso de agravo interposto pelo Município concedeu-lhe, infelizmente, efeito suspensivo para desobrigar a Administração do fornecimento da listagem dos servidores municipais requerida pelo vereador Rafael Diniz (efetivos, contratados, terceirizados, comissionados etc.), ao menos até o julgamento final do recurso. Trocando em miúdos, foi deferido em favor do Município a suspensão provisória da ordem judicial para fornecimento da listagem dos servidores”, informou o advogado.
Leia mais sobre a ação proposta no Bastos.

domingo, 20 de julho de 2014

LINDBERGH E PEZÃO FAZEM CAMPANHA EM CAMPOS



Na sexta-feira, 18, o candidato do PT ao governo do Estado, Lindbergh Farias passou em campanha pela cidade e neste domingo, 20, o do PMDB, Luiz Fernando Pezão.
Veja abaixo:

Lindbergh em campanha. Foto: página do vereador Marcão no Facebook.

Da Folha on line (aqui):

Pezão em Campos para lançamento da candidatura de João Peixoto

Lohaynne Gregório
Fotos: Lohaynne Gregório
O governador do Rio de Janeiro e candidato à reeleição, Luiz Fernando Pezão (PMDB), chegou a Campos no início da tarde deste domingo (20), para participar do lançamento da candidatura de João Peixoto (PSDC) que tenta reeleição para deputado estadual. Pezão participa do evento, que acontece no salão de festas localizado na Avenida Francisco Lamego, em Guarus, junto com filho do ex-governador Sérgio Cabral (PMDB), Marco Antônio Cabral (PMDB), candidato a deputado federal.

PERSEGUIÇÃO NA REDE ESTADUAL DE EDUCAÇÃO

Do Blog do professor Roberto Moraes (aqui)

Perseguição na rede estadual de educação

O professor do Liceu de Humanidades de Campos, Fábio Siqueira está numa peregrinação mostrando a perseguição que sofre ao ser proibido de voltar à sala de aula, depois da greve feita junto da categoria dos professores da Rede Estadual de Educação, entre 12 de maio e 27 de junho.

A Coordenadoria Regional de Educação vinculada à Secretaria Estadual de Educação estaria assim, descumprindo o que determina o Decreto 44.877 publicado no Diário Oficial do Estado no último dia 16 de julho segundo, o professor Fábio Siqueira.

Outros 189 professores da rede estadual sofrem a mesma perseguição similar à da época da ditadura. A secretaria de Educação alega que a greve foi considerada ilegal e que por isto teria chamado outros docentes concursados para o lugar dos grevistas que agora seriam realocados em outras escolas da Coordenação Regional. 

Trata-se de retaliação e perseguição inaceitável, além de um descumprimento de uma decisão legal (decreto) que determina o abono das faltas, desde que o professor faça a reposição das aulas, evidentemente, na mesma escola em que estava lotado.

Assim, vai cada vez pior o Pezão seguindo os problemas de Cabral. Além da violência contra os professores nas manifestações de rua, agora parte para a perseguição dos líderes grevistas. Nem Chagas Freitas, ousou agir assim, contra as famosas greves do Sepe, no final da década de 70, início dos anos 80.

sexta-feira, 18 de julho de 2014

RIO VAI TER UM GOVERNADOR PENDURADO NA JUSTIÇA

Garotinho, Crivella, Pezão e Lindberg - O Globo / Simone Marinho



RIO — Dos quatro principais candidatos ao governo do Rio, dois — o deputado federal Anthony Garotinho (PR) e o governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) — respondem, no total, a 12 processos na Justiça, oito deles por improbidade administrativa. O senador Lindbergh Farias (PT) e Garotinho têm seus nomes atrelados a 19 inquéritos no Supremo Tribunal Federal (STF), sendo dez do petista e nove do deputado do PR. O senador Marcelo Crivella (PRB), ex-ministro da Pesca, é o único sem processos ou inquéritos em tramitação: as cinco acusações propostas pelo Ministério Público Federal (MPF) foram arquivadas.
Com exceção de Crivella, que foi ministro da Pesca, os três postulantes ao Palácio Guanabara com pendências na Justiça já chefiaram o Executivo: Pezão foi prefeito de Piraí por dois mandatos, de 1997 a 2005; Garotinho governou o Rio de 1998 a 2002; e Lindbergh esteve à frente da prefeitura de Nova Iguaçu entre 2004 e 2010.
Candidato à reeleição, Pezão responde a cinco processos por improbidade administrativa da época em que era prefeito de Piraí. Ele foi condenado em julho de 2013 num dos processos, mas recorreu da decisão. Todas as ações se referem à compra de ambulâncias com recursos do Ministério da Saúde, em cinco convênios assinados entre 2000 e 2004.

SUPERFATURAMENTO DE AMBULÂNCIAS

O MPF argumenta que houve superfaturamento na aquisição das Unidades Móveis de Saúde (UMS) e relacionou os processos à investigação da máfia dos sanguessugas, mas preferiu fracioná-los e entrar com uma ação para cada um. A apuração sobre a máfia concluiu que, entre 2001 e 2006, donos da empresa Planam venderam mais de mil ambulâncias a prefeituras, somando R$ 110 milhões de movimentação. As licitações eram fraudadas e os veículos, superfaturados. No processo em que foi condenado, Pezão é réu com Paulo Maurício Carvalho de Souza, que presidia a comissão de licitação. Os dois foram condenados a pagar R$ 14.546,12, além de uma multa nesse valor. A assessoria da campanha de Pezão alegou que o juiz frisa que o fato não tem relação com os sanguessugas.

A assessoria ressalta que “o juiz também frisou que o suposto dano seria de pequena monta e que não haveria qualquer prova de que o ex-prefeito tivesse se beneficiado patrimonialmente dos fatos narrados na ação”.
Os processos não estão nas certidões entregues por Pezão à Justiça Eleitoral. O Tribunal Regional Eleitoral do Rio (TRE-RJ) confirmou que o governador não apresentou a certidão criminal do primeiro grau da Justiça Federal. Procurada, a assessoria enviou a certidão ao GLOBO.
Garotinho é réu em sete processos, incluindo dois por dano ao Erário e improbidade, um por corrupção passiva, formação de quadrilha e lavagem de bens, e duas ações civis públicas, uma por dano moral e outra por improbidade administrativa. Em agosto de 2010, ele foi condenado a dois anos e seis meses por formação de quadrilha, pena convertida em prestação de serviços, mas recorreu ao STF.
Segundo denúncia do MPF em 2008, quando era secretário de Segurança no governo de sua mulher, a atual prefeita de Campos Rosinha Garotinho (PR), o deputado teria permitido o funcionamento de uma quadrilha de policiais responsável pela facilitação de contrabando, corrupção e lavagem de dinheiro. O advogado do deputado, Nélio Machado, disse que recorreu da decisão no STF e considerou a acusação “frágil e despropositada”:

— Se ele fosse em tese o líder de uma quadrilha, não poderia receber uma pena de dois anos, então há um contrassenso.

No Tribunal de Justiça do Rio (TJ-RJ), o deputado é réu em três processos, sendo dois por dano ao Erário e improbidade, relacionados ao desvio de dinheiro público para o PMDB através de ONGs ligadas ao governo do Rio. As ONGs foram investigadas por envolvimento em repasses à campanha de Garotinho quando ele concorreu à Presidência, em 2006.

MP VÊ DESVIO DE VERBAS

Segundo a promotora Glaucia Santana, que ajuizou as ações, um dos processos trata de contrato da Secretaria Estadual de Saúde com a Fundação Procefet e não tem andamento atualizado. O segundo, no qual Garotinho é réu com Rosinha, aguarda julgamento de recurso no STF. Segundo o processo, trata-se de “desvio de verbas públicas em benefício próprio e de terceiros estranhos a administração, entre estes até empresas irregulares”. O terceiro processo acusa Garotinho e Benedita da Silva por ato lesivo ao patrimônio artístico, estético, histórico ou turístico. A defesa alegou que os processos sequer foram julgados em primeira instância.

Lindbergh responde a dez inquéritos no STF. A maioria dos casos está relacionado a suspeitas de irregularidades quando o petista era prefeito de Nova Iguaçu. Ele é alvo de investigações por crimes em licitações para a contratação de empresas prestadoras de serviços e execuções de obras. Mas há casos de corrupção passiva e emprego irregular de verbas públicas, além de crimes contra o sistema financeiro e peculato. Segundo denúncia da Procuradoria Geral da República (PGR), um dos inquéritos apura indícios de fraude em licitação envolvendo a Rumo Novo Engenharia Ltda para a realização de obras de saneamento em Nova Iguaçu, num total de R$ 5,9 milhões.

CRIVELLA TEVE CINCO PROCESSOS ARQUIVADOS

Réu, Lindbergh chegou a ter bens bloqueados. Segundo a PGR, documentos sobre o contrato com a Rumo Novo e o depoimento de uma servidora da Secretaria municipal de Economia e Finanças evidenciam “indícios de arranjo criminoso para entrega de propina por contratadas”.

O advogado de Lindbergh, Celso Vilardi, atribuiu os inquéritos no STF contra o senador a “disputas políticas” da época em que ele era prefeito. No depoimento, a funcionária afirmou que empresas contratadas não executavam serviços e que dinheiro foi usado para “financiamento de campanha eleitoral de Lindbergh Farias e que o pagamento de despesas pessoais do então prefeito foi realizado com o dinheiro de caixa dois”.

— O que aconteceu foram questões políticas regionais levadas ao Ministério Público por políticos de oposição. Foi um denuncismo desmedido — disse o advogado, lembrando que dez inquéritos foram arquivados.

Crivella não responde a processos. Cinco ações foram arquivadas. Em 2003, o MPF apresentou inquérito por suspeita de crimes contra o sistema financeiro e evasão de divisas. Investigou-se a responsabilidade dos diretores das empresas Investholding e Cableinvest por evasão de divisas, manutenção de contas no exterior sem conhecimento da autoridade federal e sonegação fiscal. Em 2009, o ministro Ricardo Lewandowski arquivou o inquérito. Em 2008, o Cimento Social, projeto de habitação de Crivella, foi alvo de denúncias de propaganda irregular e teve obras embargadas pelo TRE. O processo foi arquivado.

PEZÃO: PROBLEMAS DO TEMPO DE PIRAÍ

O governador Luiz Fernando Pezão é réu em cinco processos por improbidade administrativa da época em que comandou a prefeitura de Piraí. Ele foi condenado em 2013 em um dos processos, mas recorreu da decisão. Todas as ações se referem à compra de ambulâncias com recursos do Ministério da Saúde, em convênios assinados entre 2000 e 2004, quando comandava o município. O MPF relacionou os processos à investigação da máfia dos sanguessugas. A assessoria da campanha do peemedebista alegou que a condenação não tem relação com a máfia, o que, de fato, consta na sentença do juiz. Os processos não constam nas certidões entregues à Justiça Eleitoral e foram enviados depois ao GLOBO.

GAROTINHO: PENA CONVERTIDA EM SERVIÇOS

O deputado federal responde a sete processos, entre eles três por improbidade administrativa e um por corrupção passiva, formação de quadrilha e lavagem de bens. Há ainda nove inquéritos no STF que envolvem o ex-governador. Em 2010, Garotinho foi condenado a dois anos e seis meses por formação de quadrilha, pena convertida em prestação de serviços. Segundo denúncia, quando era secretário de Segurança no governo de Rosinha Garotinho (PR), o deputado teria permitido o funcionamento de uma quadrilha de policiais que seria responsável pela facilitação de contrabando, corrupção e lavagem. A defesa recorre da decisão, que considera “despropositada”.

LINDBERGH: BENS FICARAM BLOQUEADOS

O petista responde a dez inquéritos no STF, muitos relacionados a suspeitas de irregularidades da época em que era prefeito de Nova Iguaçu. Lindbergh também é investigado por crimes em licitações para a contratação de prestadoras de serviços e execuções de obras. Mas há casos de corrupção passiva e emprego irregular de verbas públicas, além de peculato e crimes contra o sistema financeiro. Um dos inquéritos, pelo qual o petista chegou a ter os bens bloqueados, apura indícios de fraude em licitação para obras de saneamento na cidade. A defesa do senador atribuiu a quantidade de inquéritos em tramitação às “disputas políticas” de quando era chefe do Executivo.

CRIVELLA: CIMENTO SOCIAL FOI POLÊMICA

O senador não tem condenações ou ações correndo na Justiça. O que constam são cinco processos, todos arquivados. Em 2003, o MPF apresentou inquérito contra Crivella por suspeita de crimes contra o sistema financeiro e evasão de divisas para apurar a responsabilidade penal dos diretores das empresas Investholding e Cableinvest em crimes de evasão de divisas, manutenção de contas no exterior e sonegação fiscal. Em 2008, em sua segunda candidatura a prefeito, o projeto de habitação Cimento Social foi pivô de denúncias de propaganda irregular e chegou a ter obras embargadas pelo TRE-RJ.

(Colaborou: Leandra Lima).

De O Globo (aqui)


MORREU JOÃO UBALDO RIBEIRO

Morreu na madrugada de hoje, no Rio, o escritor baiano João Ubaldo Ribeiro, de embolia pulmonar, aos 73 anos. Ele estava em casa, no Leblon.
Membro da Academia Brasileira de Letras, João Ubaldo é autor de livros como "Sargento Getúlio", " Viva o povo brasileiro" , além do surpreendente "A Casa dos Budas ditosos" e, todos os domingos, debulhava seu amor à ilha de Itaparica e ao Leblon,  em crônicas em O globo.

quinta-feira, 17 de julho de 2014

ADMIRAÇÃO DE GAROTINHO POR BRIZOLA NÃO ERA CORRESPONDIDA

O candidato ao governo do Estado, Anthony Garotinho, que já foi do PT, PDT, PMDB e PSB antes de filiar-se ao PR, tem postado em seu Blog (aqui) fotos antigas com o ex-governador Leonel Brizola, de quem se julga um dos "herdeiros" políticos. Fundador do PDT, Brizola era governador em 1986 quando apoiou a primeira eleição de Garotinho a deputado estadual pelo partido e, dois anos depois, foi tema do jingle que o elegeu prefeito de Campos: "Vamos votar prá acabar com a curriola/elegendo o Garotinho/o prefeito do Brizola".
Findado o mandato na Prefeitura de Campos, em 1993, e com Brizola de novo no Palácio Guanabara, Garotinho foi secretário de Estado de Agricultura e um ano depois candidato à sucessão de Brizola. Derrotado no segundo turno por Marcelo Alencar (PSDB) continuou no PDT até ganhar a eleição para o Governo do Estado em 1998. Rompeu com Brizola, mudou-se para o PSB, partido pelo qual elegeu a mulher, Rosinha em 2002 e ainda mais tarde se uniu ao atuais inimigos Picciani e Sérgio Cabral no PMDB. 
Enquanto Garotinho mantinha admiração por Brizola, a recíproca não era verdadeira. A justa admiração não era mútua. Garotinho tinha e tem muitos motivos para admirar Brizola, mas o velho gaúcho tinha a pior das impressões do ex-afilhado.
Ouça abaixo, uma entrevista de Brizola resgatada pela campanha do candidato do PMDB Luiz Fernando Pezão e repercutida aqui e aqui nos Blogs do Bastos e de Jane Nunes.


DATAFOLHA: DILMA MANTÉM LIDERANÇA NO 1º TURNO E EMPATA COM AÉCIO EM EVENTUAL 2º TURNO

DO G1

17/07/2014 21h06 - Atualizado em 17/07/2014 21h06

Dilma soma 36%, Aécio, 20%, e Campos, 8%, diz pesquisa Datafolha

Na pesquisa anterior, Dilma tinha 38%, Aécio, 20%, e Campos, 9%.
Instituto ouviu 5.377 eleitores; margem de erro é de dois pontos percentuais.

Do G1, em Brasília
Pesquisa Datafolha divulgada nesta quinta-feira (17) mostra Dilma Rousseff (PT) com 36% das intenções de voto para presidente, seguida de Aécio Neves (PSDB), com 20%, e Eduardo Campos (PSB), com 8%. No levantamento anterior do Datafolha, realizado nos últimos dias 1º e 2, Dilma tinha 38%, Aécio, 20%, e Eduardo Campos, 9%.
Somados, os adversários de Dilma acumulam 36%, mesmo percentual da presidente, que tenta a reeleição. Um candidato vence a eleição no primeiro turno se consegue mais votos que a soma de todos os rivais.
A pesquisa é a primeira realizada após o início oficial da campanha eleitoral, no último dia 6. Desde essa data, candidatos têm autorização da Justiça Eleitoral para realizar comícios, propaganda na rua e na internet, entre outras atividades de campanha. O horário eleitoral gratuito no rádio e na TV começa em 19 de agosto.
O percentual de entrevistados que disseram não saber em quem votar ou que não responderam passou de 11% no começo do mês para 14% agora. Brancos e nulos eram 13%, percentual que se manteve. O quarto colocado na pesquisa, pastor Everaldo (PSC), aparece com 3% das intenções de voto; no levantamento anterior, tinha 4%.
Veja os números do Datafolha na pesquisa estimulada (em que a relação dos candidatos é apresentada ao entrevistado):

Dilma Rousseff (PT): 36%
Aécio Neves (PSDB): 20%
Eduardo Campos (PSB): 8%
Pastor Everaldo (PSC): 3%
José Maria (PSTU): 1%
Eduardo Jorge (PV): 1%
Luciana Genro (PSOL): 1%
Rui Costa Pimenta (PCO): 1%
Eymael (PSDC): 1%
Levy Fidelix (PRTB): 0%
Mauro Iasi (PCB): 0%
- Brancos/nulos/nenhum: 13%
- Não sabe: 14%
Segundo turno
Nas simulações de segundo turno, o Datafolha avaliou os seguintes cenários:
Dilma Rousseff: 44%
Aécio Neves: 40%
- Brancos ou nulos: 10%
- Não sabem: 5%
- Dilma Rousseff: 45%
Eduardo Campos: 38%
- Brancos ou nulos: 11%
- Não sabem: 6%
Rejeição
A presidente Dilma tem a maior taxa de rejeição (percentual dos que disseram que não votam em um candidato de jeito nenhum). Confira abaixo:
- Dilma Roussef: 35%
Pastor Everaldo: 18%
- Aécio Neves: 17%
Zé Maria: 16%
Eymael e Levy Fidelix: 14%
- Eduardo Campos e Rui Costa: 12%
Luciana GenroMauro Iasi e Eduardo Jorge: 11%
- Não rejeitam ninguém: 11%
- Rejeitam todos: 6%
- Não sabem: 11%
O levantamento foi encomendado pela TV Globo e pelo jornal "Folha de S.Paulo". O Datafolha ouviu 5.377 eleitores em 223 municípios na terça (15) e na quarta (16). A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%. Isso quer dizer que o instituto tem 95% de certeza de que os resultados obtidos estão dentro da margem de erro.
A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR00219/2014.

O VEXAME PAULISTA

Candidato imposto pelo ex-presidente Lula ao governo de SP, o ex-ministro da Saúde, Alexandre Padilha, é o vexame da pesquisa Datafolha de intenções de votos divulgada agora há pouco. Padilha tem apenas 4 % contra 16% do ex-presidente da Fiesp, Paulo Skaf e 54% do atual governador Geraldo Alckmin, que disputa a reeleição.
Luz vermelha acesa do PT paulista que sonha acabar com a hegemonia de duas décadas de governos tucanos.

GAROTINHO E CRIVELLA EMPATADOS NA PRIMEIRA PESQUISA APÓS INÍCIO DA CAMPANHA

Da Globonews (aqui):

17/07/2014 19h35 - Atualizado em 17/07/2014 19h45

Garotinho e Crivella empatam no RJ com 24%, diz pesquisa Datafolha

Pezão e Lindberg estão tecnicamente empatados, com 14% e 12%.
A margem de erro é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos.

Do G1 Rio
Pesquisa Datafolha sobre a eleição para governador do Rio de Janeiro, divulgada nesta quinta-feira (17), mostra empate entre os candidatos Anthony Garotinho (PR) e Marcelo Crivella (PRB), ambos com 24% das intenções de votos.
O atual governador, Luiz Fernando Pezão (PMDB), candidato à reeleição, tem 14% das intenções de voto e está tecnicamente empatado com e o ex-senador Lindberg Farias (PT), com 12%.
Intenção de voto - Governo do RJ
Veja os números do Datafolha
24241412210167AnthonyGarotinho (PR)Marcelo Crivella(PRB)Luiz FernandoPezão (PMDB)Lindberg Farias(PT)Tarcísio Motta(PSOL)Dayse Oliveira(PSTU)Ney Nunes(PCB)Brancos e nulosNão sabem ounãoresponderam0102030
legenda
O candidato do PSOL, Tarcísio Motta, registrou 2% das intenções de voto, e Dayse Oliveira, doPSTU, 1%. Ney Nunes, do PCB, não foi citado pelos eleitores.
Dos entrevistados, 16% responderam que votarão em branco ou anularão o voto e 7% não souberam responder, mostra a pesquisa do Datafolha, realizada entre os dias 15 e 16 de julho com 1.317 eleitores em 31 cidades do Estado do Rio.
A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%, o que significa que se fosse feitos 100 levantamentos com a mesma metodologia, 95 resultados estariam dentro da margem de erro prevista.
A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o número RJ-00009/2014. É a primeira pesquisa do instituto após a oficialização das candidaturas pelo TSE.


Anthony Garotinho (PR) - 24%
Marcelo Crivella (PRB) - 24%
Pezão (PMDB) -14%
Lindberg Farias (PT) - 12%
Tarcísio Motta (PSOL) - 2%
Dayse Oliveira (PSTU) -1%
Brancos e nulos - 16%
Não sabem ou não responderam - 7%
Desempenho
No interior do estado, Garotinho tem melhor desempenho do que Crivella, o primeiro registra 31% das intenções de voto contra 16% do segundo. Já Marcelo Crivella destaca-se no município do Rio: 26% contra 16% de Garotinho.
Em relação à religião, tanto Garotinho como Crivella registraram índices acima da média entre os evangélicos pentecostais: 30% e 35% respectivamente. Já entre os evangélicos não pentecostais, Crivella lidera com 33% contra 23% de Garotinho.
Anthony Garotinho é também o candidato com maior rejeição entre os eleitores. Quando perguntados sobre o candidato em quem não votariam de forma alguma, 39% dos entrevistados responderam Garotinho. Pezão foi citado por 19% dos entrevistados; Lindberg por 17%; e Crivella por 16%, e estão tecnicamente empatados.

quarta-feira, 16 de julho de 2014

APÓS NOVA AÇÃO JUDICIAL, AUTOPISTA LIBERA MAIS UM TRECHO DUPLICADO DA BR-101

Do Blog Ponto de Vista, de Christiano Abreu Barbosa (aqui):

Movida pela justiça


Foto: Autopista Fluminense
Assim como ocorreu em janeiro, logo após o Ministério Público entrar com uma ação contra ela, a Autopista Fluminense liberou um trecho duplicado da BR-101. No início do ano, foi liberado o primeiro trecho da duplicação, de 20 km, logo após a derrota na justiça, noticiada aqui em primeira mão, em decisão liminar que chegou a suspender temporariamente a cobrança de pedágio.
Na última quinta-feira foi noticiado aqui, também em primeira mão, que o Ministério Publico Estadual entrou com uma nova ação contra a Autopista Fluminense. Coincidência ou não, hoje foi liberado um novo trecho duplicado, de 13 km, liberação esta que havia sido prometida há meses e cujo prazo vinha sendo prorrogado mês após mês.
Compartilhe

BOA NOTÍCIA - 2

Do portal da Secom/PMCG (aqui):

Prefeitura busca parcerias para construção do Museu do Açúcar

Depois da restauração do Solar Visconde do Araruama, que abriga o Museu Histórico de Campos, a Prefeitura de Campos está buscando parcerias para a construção do Museu do Açúcar. A presidente da Fundação Cultural Jornalista Oswaldo Lima, Patrícia Cordeiro, acompanhada da equipe da Secretaria de Obras, Urbanismo e Infraestrutura, visitou o Solar da Baronesa para analisar a estrutura do prédio. Segundo Patrícia, há intenção da Academia Brasileira de Letras em doar o espaço para a municipalidade e isso está sendo estudado.

- Estamos resgatando toda a memória artística, cultural e o patrimônio histórico da cidade, com o objetivo de fortalecer a cultura local e levar ao conhecimento da nova geração, os fatos que marcaram a cidade e o Estado do Rio de Janeiro - destaca Patrícia Cordeiro.

Também na última semana, ela esteve com representantes da Usina Canabrava e apresentou o projeto de parceria entre o poder público e o privado. “A Usina tem o interesse de participar da vida cultural da cidade através de parceria com universidades e, agora, com o poder público”, disse o diretor Luiz Henrique Sanches.

Dentro da política de preservação do patrimônio histórico, a Prefeitura vai reformar o Museu Olavo Cardoso. Segundo a Secretaria de Obras, Urbanismo e Infraestrutura, as intervenções estão em fase de licitação.
Por: Ruan Barros - Foto: Rodolfo Lins 

BOA NOTÍCIA - 1

Do Blog de Luciana Portinho (aqui):

Solar dos Airizes: alívio e preocupação

É como fico com a notícia veiculada ontem, (13/07),  na Folha da Manhã, sobre a venda do Solar dos Airizes.  O novo dono, segundo informação do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), é uma empresa particular, a Vittek Participações e Empreendimentos. O proprietário anterior Nelson Lamego, disse à reportagem que o imóvel foi adquirido por uma empresa do Paraná, responsável pela construção de condomínios residenciais.
Foto. Hellen de Souza, Folha da Manhã
O Solar dos Airizes, é uma das pérolas do patrimônio histórico regional. Era motivo de aflição para todos os que se interessam por preservar a história arquitetônica e cultural da região norte fluminense. Está localizado à margem da BR-356, (Campos – São João da Barra), a 6km da cidade, na localidade de Martins Lage, lado direito do rio Paraíba. Foi construída, no início do século XIX,  pelo Comendador Claudio de Couto e Souza, toda em esteios de madeira de lei e tijolos. Edificação característica dos imensos sobrados da região; dois andares, 60 metros de fachada. Até 1896,  nos fundos havia um engenho que foi demolido.
Estive por duas vezes em seu interior com sérios problemas estruturais, risco de desabamento que se agrava a cada dia. Possui uma das capelas mais “femininas” que visitei. Linda.
É minha esperança que passe urgentemente por uma restauração e que obtenha nova função social. É minha preocupação que de fato venha ter, afinal as obras não são de pequena monta, requerem projeto adequado e recursos financeiros.
Não poderia deixar de expressar o meu absoluto desconcerto face à inapetência da prefeitura de Campos, e mesmo do governo do estado do Rio, em não ter feito a aquisição, restauração e instalação de um Museu (ou Centro Cultural) público municipal ou estadual.
Como patrimônio histórico nacional, enfim, continuamos de olho. Boa vida ao Solar dos Airizes!!