domingo, 19 de setembro de 2010

Nahim, o herdeiro do acaso

Principal (único?) beneficiado com a decisão do TSE de proibir eleições suplementares no mesmo semestre de eleições normais, Nelson Nahim ainda não sabe como será o rito do pleito e nem o cronograma eleitoral, mas garante que é candidato e que seu vice será o médico e vereador Abdu Neme (PSB). As revelações foram feitas ao Blog opiniões (aqui) do blogueiro Aluysio Abreu Barbosa e publicadas na edição impressa de hoje da Folha da Manhã.
A escolha de um vice que é ex-aliado e ex-médico particular do irmão Garotinho, principal liderança de seu partido, o PR, mostra que o prefeito interino sente-se suficientente forte para pleitear o direito de concorrer pelas suas próprias condições políticas e não pelo ungimento quase sobrenatural, como ocorre nas agremiações partidárias que têm dono.
Só falta saber se a decisão do TSE vai conter alguma exceção, por exemplo, para o município de Vassouras (RJ), em pleno processo eleitoral para escolha de novos prefeito e vice em eleição simultânea em três de outubro e o próprio caso de Campos, onde todo mundo tem dúvidas.
 Popularidade em alta: Nahim faz visitas surpresa a hospitais e é ajudado por uma  insistente campanha publicitária para mostrar as obras da prefeitura na televisão 
Enquanto isso, Nahim vai surfando numa onda que é lhe francamente favorável em ambos os cenários: numa eleição direta é favorito, na indireta, imbatível. E tudo isso num novelesco enredo que lembra o caso de uma família real em que todos os descendentes legítimos estão impedidos de assumir o trono, mas as contingências, as trapaças da sorte entregam o reino nas mãos do agregado, daquele que ficava sempre em segundo lugar nas escolhas do rei e se contentava com as migalhas na maioria das vezes. De vez em quando se rebelava, mas recuava aguardando sua hora, que agora chegou, mesmo que fruto do acaso.

5 comentários:

Anônimo disse...

O bumerangue é um instrumento que quando lançado insiste em volta~r-se ao lançador.
Apopulação RIR satisfeita, afinal, subestimada,ridicularizada e enganada por tantos anos...

Gustavo disse...

Tibério Cláudio César Augusto Germânico foi o quarto imperador romano da dinastia Júlio-Claudiana, e governou de 24 de janeiro de 41 d.C. até a sua morte em 54.

Permaneceu apartado do poder pelas suas deficiências físicas, coxeadura e tartamudez, até o seu sobrinho Calígula, após tornar-se imperador, nomeá-lo cônsul e senador.

A sua pouca atuação no terreno político, que representava a sua família ,serviu-lhe para sobreviver nas diferentes conjuras que provocaram a queda de Tibério e Calígula.

Nesta última conjura, os pretorianos que assassinaram o seu sobrinho encontraram-no atrás duma cortina, onde se escondera acreditando que o iam matar. Após a morte de Calígula, Cláudio era o único homem adulto da sua família. Este motivo, junto à sua aparente debilidade e a sua inexperiência política, fizeram que a guarda pretoriana o proclamasse imperador, pensando talvez que seria um títere fácil de controlar.

Em que pesem as suas taras físicas, a sua falta de experiência política e ser considerado tolo e padecera complexos de inferioridade por causa de burlas desde a sua infância e estigmatizado pela sua própria mãe, Cláudio foi um brilhante estudante, governante e estrategista militar, além de ser querido pelo povo.

Anônimo disse...

O cínico e ridicularizador deve tentar armar das suas.
Que NOJO!

Christiano disse...

Como usual, bela análise!

Anônimo disse...

Quanto será que a PMCG está pagando por essa campanha na televisão? O noticiário local é extremamente benevolente com o prefeito, como era com a Rosinha e todos os antecessores.
DEve ser aquele história "TÔ pagando......"
Lamentável nossa mídia.